quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Crusader Kings II: Sons of Abraham



Sons of Abraham é a mais nova expansão do Crusaders Kings II, que trás coisas novas para as religiões de origem hebraica. 

A primeira grande mudança é o sistema do colégio de cardeais, de onde sairá o novo Papa quando o antigo morrer. Não é possível  jogar com teocracias, como o papado, mas o jogador pode influenciar nas eleições colocando dinheiro para que um dos seus bispos se torne cardeal e depois possa até ser o Papa.

O sistema é meio parecido com o das eleições das repúblicas mercantes, mas  você tem que ter vários cardeais para eleger um Papa do seu reino, o que vai drenar uma boa quantia do seu ouro.


No colégio de Cardeais é mostrado o Papa Atual, o que vai ser o próximo Papa até aquele momento e os cardeais, além de mostrar em quem eles votaram no próximo conclave.

A vantagem de se controlar o Papa é de poder pedir favores, como chamar uma cruzada contra infiéis para expandir seu reino.

Há novas Ordens militares religiosas, além de aumentar o poder delas. Não é incomum ver estas os Templários conquistando grandes porções de terras, já que elas participam das cruzadas como forças independentes e vencem.

Uma nova religião que muitos fãs tinham pedido, o judaísmo, foi colocada no jogo. Só há um único governante desta religião no inicio do jogo , que está numa posição difícil, cercado povos de outras fé.  O que o torna uma boa opção se você que um desafio.

Este é o evento baseado na história de Joana D´Arc. Um evento muito legal, e que pode dar uma grande comandante de tropas.
Além disso súditos judeus aparecem na sua corte, e você pode coloca-los em seu conselho. E caso você esteja com problemas de dinheiro, é possível pedir empréstimos para mercadores judeus.


Uma coisa que pode gerar alguma controvérsia é a possibilidade de você expulsar os judeus do seu reino, assim você não teria que pagar pelo empréstimo. Mas também nunca mais você poderá pedir dinheiro para eles depois.

O ponto é que este tipo de acontecimento ocorreu com certa frequência naquele período, sendo a Espanha no ano 1492 o caso mais famoso. A Paradox sempre trata destes temas espinhosos em seu jogos de maneira bem histórica, e nunca de maneira a gerar discriminação.
Em algum momento as Cruzadas podem começar a acontecer, a partir deste evento a qualquer momentos o Papa ode chamar os cristãos para recuperarem terras de outras fés.
Novos eventos também foram criados para esta expansão, um em particular é muito legal, no qual uma heroína aparece para ajuda-lo em nome de deus a derrotar seus inimigos. Esta heroína tem nome diferente ,mas obvio que esta historia é baseado na de Joana D`Arc.

Além disso novas decisões estão disponíveis, como doar dinheiro para as ordem militares, ou torna-las vassalos caso você controle Jerusalém.

Mas a melhor decisão é sem duvida ir em peregrinação para as terras sagradas, como Roma ou Jerusalém. E quando você vai em uma alguns eventos acontecem o que pode de dar novas características para seu Soberano.

Durante sua peregrinação, algumas coisas podem acontecer. Isso pode trazer amigos, novas características, pontos em algum atributo e até ferimentos.
Também foi introduzido achievements, que só são possíveis de serem feitos através do modo iron man, onde você cria um único save que é salvo praticamente a cada minuto. Logo qualquer coisa que você faz não pode ser desfeito dando load num save mais antigo.  

O grande problema é que salvar sempre deixa o jogo muito demorado, você passa horas jogando e quando nota, apenas duas décadas passaram dentro do jogo. E num jogo longo que vai do ano de 867 até1453, isso quer dizer muitas horas de jogo a mais só por causa dos vários saves.

Algumas vezes um homem muito preso aos prazeres terrestres se torna Papa. Você pode apenas rezar para ele seguir o caminho correto, ou levantar um Anti-Papa, destronar o antigo, e colocar o seu Anti-Papa no trono de Pedro.
Sons of Abraham é uma ótima expansão, trazendo muita coisas legais, principalmente para os reinos Católicos, que estavam um pouco esquecidas depois de tantas outras expansões focadas em outras fés ou povos.