domingo, 23 de fevereiro de 2014

Democracy 3


Democracy 3 é um simulador de governo, onde você deve tomar as decisões para fazer seu país prosperar e ganhar a próxima eleição. O jogo foi criado pela Positech Games e foi lançado em  outubro de 2013.
 
O jogo começa com seu partido ganhando a eleição e tendo que administra-lo resolvendo crises e problemas ao mesmo tempo tendo que garantir o apoio do eleitores para a próxima eleição. O que não é algo muito simples, já que a adotar certas políticas que beneficia um grupo vai deixar outros descontentes, e por consequência vão deixar de apoia-lo.

Esta é a tela principal do jogo, onde você vê os grupos de eleitores no centro da tela e o quanto elas te apoiar. As bolas ao lado, são suas políticas (Brancas), efeitos negativos(vermelhas), efeitos positivos(verdes) e as Estatísticas(Azuis).

O jogo é muito conceitual,apresentando como  gráfico algo bem simples e limpo, a tela principal é praticamente todo o jogo. Nela é mostrada no centro todos os grupos de eleitores e o quanto eles estão felizes com você. E ao lado, as bolas,  são um resumo do seu pais e da suas políticas em varias áreas.

As bolas brancas são as políticas adotadas pela nação, sendo que cada uma tem algum impacto em algum grupo de eleitores. Por exemplo um programa de saúde publica, ela é muito popular entre os socialistas, mas não com os capitalistas. Outro exemplo e a lei de aborto muito bem aceita pelos liberais e detestada pelos grupos religiosos.

Apoio ao pequenos negócios tem grande aprovação dos empregados autônomos (self employed) e os Capitalistas. Isso também diminui o numero de pessoas ligadas aos socialistas e aumenta do dos autonomes, muitas políticas podem com o tempo alterar o  perfil do eleitorado.

Então ao tomar decisões de qual políticas adotar é bom olhar para o perfil da sua sociedade antes, já que implementar varias impopulares vai deixa-lo longe da reeleição e game over.

Um ponto Importante é que um eleitor não pertence a um único grupo, mas a vários. Isso permite a você ter uma área maior espaço de manobra, caso você quer criar um a sociedade mais liberal e capitalista você pode tomar medidas que conservadores detestam  e mesmo assim ter apoio da população e ganhar a próxima eleição.

Isso acontece porque parte dos conservadores podem se identificar com os capitalistas, e te da apoio se você os beneficia-los por este lado. 

Ao colocar o mouse sobre um grupo você sabe o que ele apoia(setas verdes)e o que ele reprova  (setas vermelhas).
Mas pisar muito em um grupo pode ter uma consequência muito grave, grupos radicais podem se formar e tentar mata-lo, não é preciso dizer que isso é game over. Isso as vezes é meio frustrante, principalmente quando você está indo bem nas urnas.

Nem todas as políticas do jogo estão ativas no começo, alguma você deve implementá-las para fazerem efeito e aparecer na tela principal do jogo. Estas políticas ficam no menu com o botão de lâmpada. Cada uma tem um nível de apoio da população, um custo aos cofres e um quantidade de capital político para coloca-las em ação.

Não é possível sair por ai e adotar todas as políticas que você quiser no primeiro turno. Cada uma a ser implementa, ou ter seu nível aumentado, ou baixado, tem um custo de capital político.

Este e seu gabinete e ele gera seu capital político todo turno. Quanto mais auto a nivel de lealdade de algum dos seus chefes de gabinete mais pontos eles geram.
O capital político é gerado a cada turno pelo seu gabinete. Cada ministro gera uma quantidade que está relacionado a sua lealdade, quanto mais alto mais ele gera. A lealdade de um ministro  aumenta ou diminui conforme as políticas que você adota.

Um ministro tem grupos simpatizantes e conforme suas políticas afligem estes grupos, a lealdade dele também vai ser atingida.

Este jogo você deve pensar como suas decisões vai influenciar outros aspectos do seu governo, caso seu gabinete fique com lealdade muito baixa é possível despedir todos e refazer como novos ministros, tudo isso ao custo de 10 de capital político.

Ao implementar uma nova política, você sabe o apoio que ela vai gerar. Mas não fique presa só a isso, algumas vezes um medida impopular e preciso para solucionar um problema.

Na tela principal do jogo não fica só suas políticas adotadas, também fica situações que seu país está passando, tanto boas(bolas verde) quanto ruim(bolas vermelhas) e as estatísticas(bolas azuis).

As estatísticas servem para saber como as coisas estão indo de modo geral. Mas situações são mais importantes, principalmente as ruins.

Elas ativam quando alguma coisa atingem um limite alto e para terminar com ela você deve baixa-las à limite mínimo. Para isso você terá que tomar algumas medidas impopulares. Mas quando esta situação passa, o que pode demorar, você recupera apoio.

Durante os turnos eventos podem acontecer. É muito bom quando alguém do seu país ganha um Nobel, mas as vezes uma crise de crédito pode acontecer também e abalar sua economia.
O game apresenta vários eventos durante os turnos, cada turno sendo um quarto de ano. Estes eventos podem ser de aprovar ou rejeitar uma lei, ou algum acontecimento no mundo, como a explosão de um oleoduto no Oriente Médio.

Este game é muito legal para quem gosta de jogos de administração, ele poderia ser muito bem usado em escolas também. Ele tem um grande valor educativo para ensinar as pessoas um pouco sobre administração publica.

Só espero que quem jogue isso não pense que a melhor forma de mudar um governo que não goste seja atirando no presidente.