segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O caminho para a Índia em Crusader Kings II: Rajas of India


Crusader Kings II: Rajas of India é a ultima DLC do jogo, onde é possível controlar governantes desta parte do mundo. Esta foi uma expansão que adicionou mais elementos ao game, aumentando a experiência dos jogadores.

A maior mudança que qualquer pessoa que já se envolveu nas aventuras medievais de Crusader Kings perceberá, é a nova região do mapa, a Índia, que inseriu mais de 300 províncias ao universo do jogo. Houve também a correção de algumas províncias antigas, que tinham suas bordas incorretas, pois não havia mais mundo para o leste, sendo necessário contrair algumas terras mais ao leste, com esse alongamento eles deixaram esses territórios com o tamanho mais próximo da real.

A Índia em 867 D.C.

Um segundo componente muito importante, e bem legal, são as novas religiões; o Hinduísmo, o Budismo e o Jainismo, este ultimo o mais desconhecido, mas conta com quatro milhões de seguidores na Índia atualmente.

Cada uma delas tem suas próprias vantagens e desvantagens, um personagem Hindu pode declarar guerra santa contra membros de outros grupos religiosos, já um Budista só o pode fazer contra grupos não indianos e apenas pode clamar uma única província, porém ele tem bônus na habilidade de aprendizado (learning). Já personagens Janistas não podem declarar guerra santa, uma vez que um dos seus ensinamentos mais importantes é a da não violência, por outro lado eles têm vários bônus para manter a estabilidade no reino.

Os Budistas podem pegar como ambição derrotar algum aspecto ruim deles, perdendo aquela características, como o medo neste caso.

Uma característica destes grupos religiosos é sua facilidade mudar de religião, dentro do mesmo grupo, sem receber uma grande penalidade por fazer isso, há ainda um custo alto de prestigio, mas vale a pena quanto há necessidade. Você pode começar a campanha conquistando os povos vizinhos, aumentando em muito seu reino, e depois mudar para o Jainismo, aproveitando uma maior estabilidade no reino.

Casar com alguém de uma casta diferente dá muita penalidade nos modificadores de relação com seus vassalos, para piorar seus filhos serão da casta mais baixa dentre os pais.

Outro elemento é sistema de castas e os ramos de cada grupo religioso. As castas são uma ordem que representa a posição social que uma pessoa pertence ao nascer. Cada grupo representa uma parte do corpo da Brahma da qual foi feita; da cabeça saíram os brâmanes, que são os sacerdotes, dos braços vieram dos xátrias, sendo a casta dos guerreiros e reis, esta é a casta que a maior parte do tempo você vai controlar, e das pernas foram criados os comerciantes, chamados de vaixás. Os outros dois estratos, os sudras, que são formados pelos os servos, e os intocáveis não são representados no jogo.

Já os ramos representam as facções dentro dos grupos religiosos, dando um pequeno bônus para cada o seguidor, elas também dão tem um pequeno impacto na relação entre os personagens. Todos estes novos elementos dão um ao jogo uma nova roupagem, sem alterar muito a essência do jogo. Você ainda vai procurar pessoas valiosas para casar seus filhos e manter sua dinastia no poder, só tomando cuidados com a casta do pretendente, já que casas alguém de casta diferente causa um grande impacto negativo nos relacionamentos com seus vassalos.
Também foi adicionado vários eventos exclusivos para os Indianos.
Para quem está querendo mudar um pouco de ares em Crusader Kings II, este DLC é uma boa pedida, há baste conteúdo que compensa o preço. Eu ainda prefiro jogar na Europa ou no Oriente médio, mas a gostei desta nova parte do mundo.